• A Prado Papelaria agora é correspondente Bradesco!

  • hb-sementes

    hb-sementes
  • IMG-20170911-WA0078

    IMG-20170911-WA0078
Postado por Maurício Gohmes em Bahia, Itapetinga, Politica | 09/set/2015

p0705160808O título “erros que se repetem” do presente texto, foi escolhido aleatoriamente, mas ao final, e ao cabo, percebi que calhou com a mensagem que se pretendia passar, pois o assunto sob análise não era outro senão o momento antecipatório escolhido pelos políticos para o debate sucessório municipal, que efetivamente só vai acontecer pra valer, após os festejos momescos, com desfecho em julho quando ocorrem as convenções partidárias que vão homologar as candidaturas.

Mas se a regra é essa, que rufem os tambores. Corrijo-me, esse é um tema, que a priori não tem regra definida, sobretudo quando os seus atores ainda estão nas primeiras tratativas, isso porque numa analogia tosca com uma partida de futebol – seria como nos quinze minutos iniciais da competição, em que os contendores arriscam pouco, para não serem surpreendidos pelo “adversário”. Afinal, quando estar-se discutindo sucessão municipal, o objeto de desejo dos seus protagonistas é o mesmo, ou seja, o comando dos destinos da cidade para o quatriênio seguinte, mormente quando se tem um fausto orçamento como o nosso. Nessa fase, é comum se jogar para a platéia, porque nela existem verdades, que por cautela, não podem ser reveladas.

Não há nada pedagógico nem cientifico nisso, mas restringir as discussões a rasgados e gratuitos elogios da trajetória dos lideres que promovem esses eventos em ano pré-eleitoral, para a distinta plateia, sem um exame dos equívocos cometidos pela atual gestão municipal, como tem ocorrido até agora, apontando os erros e indicando soluções, além de enfadonho e desinteressante, é politicamente incorreto, e pode custar caro aos interessados. Sem esse diagnóstico, dificilmente se terá a exata dimensão do que estar por vir, e o que efetivamente poderá ser feito nos quatro anos de gestão.

E aqui abro um hiato para lembrar um velho amigo em minhas andanças por Brasília, quando ainda militava na política: “Caro Juraci, a gente não analisa o político pelo o que ele verbaliza, porque a sua verdadeira intenção está no que ele deixou de falar”. E o momento é propicio para essa reflexão. Fiquem atentos nas entrelinhas dos seus interlocutores, nesses festejados encontros, para não serem apanhados de surpresa.

Agora, sem o estatuto da reeleição extinto pelo Congresso Nacional para favorecer a alternância no poder e aos naturais objetivos daqueles que ambicionam o posto de chefe do executivo, embora bastante celebrado pelos políticos, traz também em seu bojo um inconveniente para a gestão, que é o de aumentar a competição dentro do governo pelo processo sucessório seguinte.

Abandonar a retórica e aprofundar o estudo na herança político-administrativa que vai ficar do atual governo municipal, que se revelou perdulário, parece ser o melhor caminho a seguir. Sem esse diagnóstico, corre-se o risco de o eleito não cumprir suas promessas alinhavadas em campanha, e por cima ser defenestrado da vida pública precocemente.

Bem-vindos aos que debutam nesse complicado mundo político egressos da iniciativa privada, pouco habituados aos “acordos” políticos: nesse território minado, pactos celebrados, sobretudo em período distante do pleito, não tem selo de garantia, podem ser rompidos unilateralmente sem nenhuma cerimônia pelos pactuantes.

Diferente do período de 1980 até meados do ano 2001, quando as disputas políticas locais polarizavam em torno de José Otávio Curvelo (DEM) e Michel Hoje (PMDB), que ditavam as regras do jogo, com a perda de musculatura eleitoral dessas duas lideranças e com o esgarçamento da administração do PT (leia-se José Carlos Moura), novos nomes têm emergido para a vida pública, e já ameaçam ocupar os espaços desses importantes personagens, embora ainda resistam; coisas da democracia.

Abstraindo-se o habitual preconceito que políticos tradicionais e ortodoxos da política local nutrem por candidatos que brotam das camadas mais humildes da população, é fácil constatar que o Professor Alécio Chaves, filho de operário, é indubitavelmente, dentre os prefeituráveis, o que reúne o maior capital eleitoral no momento, que se bem administrado até as convenções, e se formar uma boa correlação de forças em torno do seu nome terá grandes chances de vencer as próximas eleições.

Oriundo da cisão da base petista, Chaves, com muita habilidade e parcimônia vai pavimentando os caminhos que podem lhe conduzir a administrar uma das cidades mais importantes da Bahia, enquanto outros pretendentes como Renan Pereira, Geraldo Trindade (DEM) e Adriano Alcântara (PSDB), Leonardo Matos (PDT) vão por seu turno, tentando viabilizar suas candidaturas dialogando com a sociedade e partidos políticos afins.

Mas a tão almejada união das forças políticas que se apõe ao prefeito JCM e ao PT em Itapetinga, ainda é uma quimera, vai continuar no campo das boas intenções, por obra e culpa do egoísmo e vaidade dos grupos que ainda não se aperceberam que não são mais hegemônicos, e que vão precisar de outras forças, inclusive as emergentes, para colocar em prática o seu projeto político. Confesso que desconfio que essa teimosia custe caro às presentes e futuras gerações, que tanto anseiam por mudança.

Por: Juraci Nunes de Oliveira

Juraci Nunes é advogado e radialista


Postado por Maurício Gohmes em Bahia, Itapetinga, Politica | 08/set/2015

20150908_180125Mais uma reunião liderada pelo vice prefeito Alécio Chaves aconteceu na tarde desta terça-feira, 08/09, na sala de reuniões do escritório particular do vereador Alfredo Cabral.  Com agenda semanal, essas reuniões têm surtido o efeito esperado pelo grupo de partidos que se uniram em prol de um projeto político viável para o município de Itapetinga. No encontro de hoje, a discussão em torno do rumo politico partidário do vice prefeito foi a pauta principal. Alécio Chaves falou detalhadamente sobre a reunião que teve com a Direção Executiva do PT e com representantes do Gabinete do Governo, ocorrida na semana passada, na Capital do Estado.

20150908_180207Após a explanação, o vice prefeito ouviu  sugestões e opiniões de cada um dos representantes partidários, demonstrando que em determinados momentos até mesmo as decisões de um líder devem ser tomadas em conjunto. Firme na decisão de andar junto com os partidos que o apoiam na construção desse projeto, o vice prefeito Alécio Chaves disse não demorar muito em responder aos questionamentos de alguns e desfazer boatos infundados sobre seu destino político. Disse que não abre mão de utilizar o tempo que é permitido, por lei, para qualquer cidadão se filiar a qualquer partido político com intenção de se candidatar para as eleições de 2016. Alécio reforçou que informou à direção estadual do PT, de que ele estaria conversando e buscando opinião da sua base, em Itapetinga, antes de tomar qualquer atitude com relação à sua desfiliação do PT e possível filiação a outro partido. 20150908_181201Disse ainda, que não houve nenhuma conversa do Governo no sentido de promover uma reaproximação sua com o prefeito de Itapetinga. O que ficou claro, segundo o vice prefeito, é que esse grupo de partidos continuará andando junto no propósito de desenvolver, a contento, esse projeto político que atenderá aos anseios do povo itapetinguense. Na reunião estiveram presentes representantes do partidos: PSD, PRP, PSC, PSB, e PC do B (com a presença do ex-vereador Gilson de Jesus).


Postado por Maurício Gohmes em Bahia, Itapetinga, Politica | 08/set/2015

FBA50000040242Valdemar Lima Sodré Junior, servidor público municipal, popularmente conhecido como Bibiquinho, tomará posse como vereador nesta quarta-feira, 09/09/2015, em substituição à vereadora Neide Pereira/PSL, que solicitou licença para tratamento de saúde. Embora tenha sido diplomado primeiro suplente pelo PRP, com 588 votos, na Coligação Itapetinga No Rumo Certo, Bibiquinho é hoje um dos braços direitos do ex-vereador Romildo Teixeira, que o está levando para o PSL. Não querendo contestar a veracidade do tratamento de saúde da vereadora Neide Pereira, há rumores de que a posse de Bibiquinho seja fruto de um acordo com Romildo Teixeira, para garantir a ida do rapaz para o seu Partido. De temperamento forte, Bibiquinho é conhecido por “não levar desaforos pra casa” e tem em Romildo Teixeira a sua maior fonte de inspiração. A curiosidade é de como será seu primeiro discurso na sessão ordinária de amanhã. O Politicagem na bagagem deseja boa sorte ao nobre Edil.


Postado por Maurício Gohmes em Bahia, Itapetinga, Politica | 08/set/2015

A cada semana estaremos colocando o nome de um dos 15 vereadores da Câmara Municipal de Itapetinga, para ser avaliado pelos usuários do Site politicagemnabagagem.com.br.

A ordem de publicação será alfabética e da forma como o nome do vereador apareceu na urna de votação. Assim sendo, como você avalia o mandato do vereador  JOÃO CARLOS???

GEDSC DIGITAL CAMERA

JOÃO CARLOS/PMDB, foi eleito pelo quociente partidário, na coligação “Itapetinga Em Boas Mãos”, com 530 votos, totalizando 1,55% dos votos válidos, nas eleições de 2012.


Postado por Maurício Gohmes em Itapetinga, Politica | 08/set/2015

Sem título-1

Renan Pereira e Edilson Lima: Prefeito e Vice, ou vice versa?

Alguns fatos políticos têm ampliado as discussões relativas à sucessão municipal em 2016, na capital da pecuária. O mais recente foi a filiação do ex-vice prefeito e  renomado radialista Edilson Lima à fileiras do PMDB. Adversários de longas datas, Lima e Michel se aproximaram no ano passado, oportunidade em que o líder “gabiraba” convidou o ex-vice prefeito para filiar-se ao PMDB. Sempre muito cauteloso, Lima deixou o tempo passar, analisando todos os quadros, e, finalmente, decidiu pela filiação. Mas, bastou a comunidade ter notícia desta filiação, surgiram os rumores de que finalmente a chapa da “Oposição 1” estaria formada, sendo a mesma encabeçada pelo pecuarista Renan Pereira, tendo Edilson Lima como vice. De fato, a “Oposição 1”, formada pelos partidos DEM/PMDB, não tem maiores opções. Renan Pereira já tem propagado seu nome como pré-candidato à prefeito pelos quatro cantos da cidade e o nome de Edilson Lima, que goza de grande respaldo em vários setores da comunidade itapetinguense, veio a caiar para as pretensões do pecuarista. Há quem diga que possa haver inversão da chapa, mas o que ninguém nega é que a filiação de Edilson Lima ao PMDB pode enterrar de vez as pretensões de outros nomes, a exemplo do presidente do DEM, Geraldo Trindade, que sonhava ter, no mínimo, a indicação de seu nome para ser novamente candidato a vice prefeito. Com a escassez de nomes nos dois principais partidos da “Oposição 1”, chegando o grupo a colocar a candidatura de vice prefeito à disposição de outros partidos, a filiação de Edilson Lima ao PMDB, torna-se o maior ganho dos últimos tempos para o Partido do Movimento Democrático Brasileiro. Parece que a campanha de 2016 começa a ser desenhada. Os protagonistas já estão assumindo seus lugares. DEM/PMDB, ao que tudo indica, já tem uma chapa formada.


Postado por Maurício Gohmes em Itapetinga, Politica | 04/set/2015

13741952750.14206700Dentre outros impedimentos judiciais que afetaram efetiva e afetivamente a vida do Prefeito Zé Carlos, soma-se agora o bloqueio da sua conta salário. A atitude tomada pela Justiça visa impedir, por parte do titular da conta, a utilização dos recursos depositados, ou seja, basta tão somente o salário do prefeito ser depositado que automaticamente ele será bloqueado e revertido para o uso judicial. Mas como moramos no país do jeitinho, alguns advogados da Prefeitura já estão tomando as “medidas cabíveis”, no sentido de amenizar o problema, e enquanto eles não resolvem a questão, o prefeito irá receber seu salário na tesouraria, em cheque nominal, pra sacar na boca do caixa, em espécie. Brasileiro sofre…


Postado por Maurício Gohmes em Itapetinga, Politica | 03/set/2015

10300903_395886080550595_6895646700152000086_nUma das grandes virtudes do ser humano é reconhecer seu erro e corrigir determinadas atitudes que antes julgava como sendo certas. Teria sido este o motivo pelo qual o Prefeito José Carlos nomeou o servidor Ricardo Teixeira para o cargo de presidente da Comissão de Licitação da Prefeitura Municipal de Itapetinga? Se for, isso demonstra uma evolução conceitual por parte do Gestor, pois nesse mesmo governo, em maio de 2013, quando era Secretária Municipal de Educação a esposa do Vice-prefeito, houve uma enxurrada de exonerações naquela pasta, principalmente de pessoas notadamente ligadas ao vice-prefeito, seja por motivos de laços de parentesco ou não. Sobre alguns exonerados ficou ainda o constrangimento de estarem sendo colocados pra fora do governo sob suspeita de irregularidades na condução da coisa pública, o que foi o caso do jovem Ricardo Teixeira que, à época, era o chefe da Contabilidade da Secretaria de Educação. O rapaz e mais outros sofreram constrangimentos e tiveram seus nomes expostos, causando-lhes um verdadeiro mal estar. Trabalhando por um período em uma empresa particular de contabilidade, acolhido e incentivado pelo vereador Alfredo Cabral, Ricardo acabou, posteriormente, sendo nomeado para um cargo de confiança no setor contábil do SAAE.  Neste início de mês, o Prefeito nomeou Ricardo Teixeira para presidir a Comissão de Licitação da Prefeitura, com responsabilidade, inclusive, para tratar de licitações relacionadas a recursos oriundos do Fundo Municipal de Saúde. A nomeação é de extrema responsabilidade e requer, por parte de quem nomeia, alto grau de confiança no nomeado. Se for o caso, o Prefeito admite que foi injusto ou, no mínimo, incoerente para com o jovem Ricardo quando da sua exoneração da Secretaria de Educação, ou talvez, o governo esteja sofrendo de escassez de pessoas para assumirem “pepinos”. Uma coisa é certa: o fato de ser primo de Romildo Teixeira não tem nada a ver com a referida nomeação. Ricardo tem luz própria! Parabéns Prefeito!


Postado por Maurício Gohmes em Bahia, Itapetinga, Politica | 03/set/2015

imagem_2591_7514O que já era praxe em todo final de ano, desde outubro de 2012, agora está sendo impresso na primavera. Algumas gratificações para servidores efetivos e ocupantes de cargos comissionados da Prefeitura Municipal de Itapetinga estão sendo diminuídos em 50%. O CET-Condições Especiais de Trabalho e o RTI-Gratificação por Regime de Tempo Integral, foram retirados em outubro de 2014 e retornaram em maio de 2015, mas, pelo visto, o orçamento do Município não comporta os gastos com esse tipo de gratificação e a medida mais sensata tomada pelo prefeito, por orientação da Secretaria de Fazenda, foi reduzir mais uma vez o percentual destes benefícios. Ocorre que, a exemplo de outras edições, embora o Decreto estabeleça a redução de “todos”, alguns servidores “mais próximos” do gestor continuarão recebendo na integralidade, o que deixa os demais revoltados. Há alguns que já ameaçam não estarem tão à disposição no ano que vem, ano eleitoral, caso essa moda perdure até lá. Revoltados ou não, o fato é que o Decreto já foi publicado no diário oficial e entrou em vigor na data de sua publicação, 01/09, revogadas as disposições em contrário. O que ninguém pode dizer é que medidas não estejam sendo tomadas para “arrumar” a casa, não é mesmo?


Postado por Maurício Gohmes em Itapetinga, Politica | 02/set/2015

RENAN-PEREIRA-2Convidado para falar sobre a atual situação do futebol em Itapetinga, sobretudo em relação à LADI e às dificuldades que a Liga está encontrando para manter a Seleção de Itapetinga no Campeonato Intermunicipal, Renan Pereira foi amplamente elogiado pelos ouvintes que ligaram em participação ao vivo, principalmente falando sobre sua positiva passagem como Presidente da Liga Amadorista dos Desportos de Itapetinga. Mas como Renan Pereira, além de um apaixonado por futebol é também um apaixonado por política, não foi possível dissociar sua pessoa dos dois temas, o que levou os entrevistadores e ouvintes a questionarem sobre sua possível candidatura para o pleito de 2016. Renan Pereira se mostrou otimista e disse estar preparado para enfrentar uma campanha política, bem como para administrar um município do porte de Itapetinga. Renan criticou a forma como  Itapetinga vem sendo administrada e fez comparativos com outras gestões. Ele não esconde que é candidato em 2016, deixando claro que está se antecipando ao seu partido, o DEM, e ao PMDB, que nesta união de forças declararam que seria feita uma pesquisa interna para se definir quem e de qual dos dois partidos seria o candidato que encabeceria a chapa, dando-se a oportunidade para qualquer outro partido de oposição indicar o vice. Neste caso, como DEM e PMDB, leia-se José Otávio e Michel, têm visto essa postura de Renan Pereira, que se apresenta sempre como O Candidato das oposições, mesmo antes da tal pesquisa? E caso seja confirmado o nome de Renan Pereira para candidato a prefeito pelo grupo DEM/PMDB, qual seria o candidato a vice, ideal, alguém arrisca dizer?


Postado por Maurício Gohmes em Bahia, Brasil, Itapetinga, Politica | 01/set/2015

20150827_114755

FACHADA DO RESIDENCIAL MOACYR MOURA

A organização não governamental denominada Associação Tônus Sistemas Sustentáveis, firmou Contrato de Prestação de Serviços no valor de seiscentos e vinte mil reais, junto à Prefeitura Municipal de Itapetinga. O Objeto é a contratação especializada em prestação de serviços de execução do trabalho social do Programa Minha Casa Minha Vida, nos Residenciais Moacyr Moura e 12 de Dezembro, gerenciados e coordenados pela Secretaria de Desenvolvimento Social”, com recursos do Fundo Municipal de Assistência Social. O CONTRATO Nº 040/2014, tem vigência de 10 meses, a contar da data da emissão da ordem de serviços, e parcelas mensais de sessenta e dois mil reais. A empresa já solicitou o pagamento das primeiras parcelas, num total de R$ 94.220,00, contudo não houve a apresentação de um relatório contundente que comprove a execução do trabalho social do Programa Minha Casa Minha Vida nos referidos residenciais. A execução total dos serviços NÃO FOI CONSTATADA no referido aglomerado de casas populares, conforme exigência da Caixa Econômica Federal, a exemplo de: REUNIÃO MENSAL COM LIDERANÇAS; ACONPANHAMENTO DA GESTÃO; PALESTRA DE EDUCAÇÃO PATRIMONIAL; PLANTÃO AMBIENTAL; ESCOLINHA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA CRIANÇAS, dentre outros. Dentre os trabalhos a serem desenvolvidos de acordo com o Cronograma de Serviços a serem prestados, houve apenas um Curso de Corte e Costura, cuja certificação informa uma carga horária de 140 horas. Mas havia apenas duas aulas semanais de 2 horas, o que totalizaria 64 horas, caso todas as aulas fossem dadas durante o período de março a junho/2015. Ocorre que, quando havia feriados e no período em que a instrutora esteve doente, não houve aulas nem reposição das mesmas. Segundo moradores, o curso não atingiu nem 50% do total de horas constantes do Certificado. Segundo exigência da CEF e do próprio Contrato, o Residencial tem de ter Associação de Moradores. Uma associação foi formada às pressas, com acompanhamento direto e decisivo de funcionários da Prefeitura Municipal, sendo que foi eleita uma diretoria composta por servidores e ocupantes de cargos de confiança na atual administração, a exemplo da sua presidente, que exerce o cargo de diretora em uma das escolas do Município. Não houve registro de livro de Atas nem de estatuto social, ou seja, a associação existia de fato, mas não de direito, uma vez que a mesma foi desativada, pois a sua presidente não reside mais no Residencial e o grupo se desintegrou. Acrescenta-se ao processo que a Tônus é uma empresa parceira da THEMA – aquela que foi recentemente contratada pelo SAAE, pelo valor de cento e vinte mil reais, para assessoria de acompanhamento do processo que trata do Projeto de Tratamento do Esgotamento Sanitário do Município de Itapetinga. Assina por ambas, o mesmo Diretor. O Contrato informa que a TONNUS tem sede em Vitória da Conquista-Ba, mas na receita Federal, seu CNPJ informa que a mesma funciona em Macaúbas-Ba. Um dos critérios mais rígidos da Caixa Econômica Federal é a execução do Trabalho Social a ser desenvolvido nos residenciais. Se esse trabalho não for executado, a empresa contratada não pode receber pela “prestação” dos serviços e a Prefeitura em questão pode arrumar sérios problemas com o Governo Federal, pelo “não acompanhamento” do Contrato, uma vez que a pasta que coordena o Projeto deve formar uma Comissão de Fiscalização da Execução do Contrato, assinando e assumindo, pelo município, a responsabilidade da veracidade da informação. Diante do exposto, ficam evidenciados indícios de irregularidades no desenvolvimento do referido Contrato.


Página 140 de 143« Primeira...102030...138139140141142...Última »

  • MOÇA BONITA

    MOÇA BONITA

Todos os Direitos Reservados - Desenvolvimento: Marcio Contreras | WhatsApp 7799641685 | www.blogdomarcio.com.br |